Publicidade
25/11/2011 - 07h25

Falta de limites de empregador leva a processo

LEOPOLDO ROSALINO
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

Em decisão do Tribunal Superior do Trabalho (TST), uma analista de crédito de uma rede de lojas de departamento foi contemplada com indenização de R$ 20 mil. A funcionária relatava ter sido chamada constantemente de velha e gorda.

A analista afirmou que, além de ser vítima de ofensas, era excluída de reuniões e advertida diversas vezes sem motivo aparente.

Segundo o advogado trabalhista Luís Carlos Moro, diretor da Associação dos Advogados de São Paulo, é fundamental compreender os limites do relacionamento entre empregado e empregador.

"O emprego só autoriza a empresa a dirigir trabalho ao funcionário, e isso jamais pode ser feito de forma degradante", explica.

Segundo Moro, caso haja ouvidoria na empresa, "buscá-la deve ser a primeira alternativa". Conversar com o responsável pelas ofensas também é opção antes de procurar a Justiça.

"Em casos de ofensa a honra, imagem ou vida privada, ainda que aconteça uma única vez, podemos configurar como dano moral. Já a prática recorrente disso, a ponto de causar prejuízos à saúde física e mental do trabalhador, é tida como assédio moral", explica o advogado trabalhista Alexandre Gomes Kamegasawa, membro da comissão de direito trabalhista da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil).

Processos desse tipo exigem do autor a capacidade de gerar provas sobre a agressão sofrida. "É preciso certificar-se que os atos foram presenciados por outros empregados ou ter em mãos bilhetes e e-mails que possam comprovar as ofensas", diz Kamegasawa.

NA JUSTIÇA

Nem sempre o dano moral se dá apenas por xingamentos. Em outubro, um trabalhador de uma usina de açúcar ganhou processo contra a empresa que trabalhava. Chamado de "mau empregado", foi dispensado por justa causa após não aceitar mudança de jornada de trabalho que lhe tiraria o descanso dominical.

Pela CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), as alterações dessa natureza só podem ser feitas se não acarretarem prejuízos ao funcionário e com o consentimento do mesmo.

 

Publicidade

 
Busca

Encontre vagas




pesquisa

Publicidade

 

Publicidade

 

Publicidade

 

Publicidade

 

Publicidade


Livraria da Folha

Truques da Escrita

Truques da Escrita

Howard S. Becker

Comprar
Finanças Femininas

Finanças Femininas

Samy Dana e Carolina Ruhman Sandler

Comprar
Mais Tempo, Mais Dinheiro

Mais Tempo, Mais Dinheiro

Gustavo Cerbasi e Christian Barbosa

Comprar
Criati- <br> vidade S/A

Criati-
vidade S/A

Nivaldo Montigelli Jr.

Comprar
Sua Carreira

Sua Carreira

Dony de Nuccio, Sofia Esteves e Maíra Habimorad

Comprar