Publicidade
21/05/2012 - 07h05

Profissionais de publicidade são disputados lá fora

FELIPE GUTIERREZ
DE SÃO PAULO

Não é novidade que a publicidade brasileira costuma arrebatar troféus mundo afora em premiações internacionais. No tradicional Festival Cannes Lions, o mais importante da indústria, as agências daqui somaram 68 prêmios no ano passado, recorde histórico.

A boa fama do país nesse segmento torna a mão de obra disputada no exterior e leva profissionais a países distantes e com línguas -e até alfabetos- bem diferentes do nosso.

O diretor de criação Jaime Mandelbaum, 28, é um deles.

Em Praga há sete anos, ele chegou ao posto de diretor de criação da Young & Rubicam da República Tcheca.

As diferenças culturais, às vezes, dificultam o trabalho, diz ele. Campanhas de Natal, por exemplo, são sempre complexas. Motivo: os tchecos não se importam com símbolos como o Papai Noel ou a ceia natalina.

Lá, a tradição da data é comprar uma carpa viva e deixá-la na banheira de casa por alguns dias até o momento do jantar. A solução, conta o publicitário, é criar peças com neve.

Rafael Guida, 29, trabalha na TBWA de Dubai (Emirados Árabes Unidos) e faz campanhas para outros países do Oriente Médio, nas quais precisa esconder o cabelo das mulheres. Outra peculiaridade é que a agência não aceita contas de empresas de bebidas alcoólicas, que são, tradicionalmente, grandes clientes no Brasil.

Não é por salário que os brasileiros vão para países longínquos.

No exterior, dizem, paga-se menos. "E a cidade é cara, mais do que São Paulo", afirma Lucas Zaiden, 22, que vive em Moscou. Ele conta que desembolsa US$ 2.500 pelo aluguel de um apartamento de um cômodo.

Apesar de não ganhar o mesmo que um profissional como ele aqui, Guida diz gostar do estilo de vida em Dubai. "Seria difícil ter que voltar ao Brasil."

De modo geral, a intenção desses profissionais é crescer em países onde a publicidade está menos desenvolvida. "Aqui [Rússia] é o Brasil há dez anos. Não há [máquina de] cartão de crédito em todos os lugares, por exemplo", compara Zaiden.

"Nosso objetivo é tentar trazer prêmios para cá", diz Andreas Toscano, 33, diretor de criação da Lowe Moscou. Segundo ele, por conta disso, os clientes também são mais dispostos a arriscar.

+ CANAIS

+ NOTÍCIAS SOBRE EMPREGOS

  • "[Setor aquecido traz publicitários de volta]"http://classificados.folha.com.br/empregos/1092917-setor-aquecido-traz-publicitarios-de-volta.shtml:
  • "[Órgão estadual abre 20 vagas com salários de até R$ 3.827]"http://classificados.folha.com.br/empregos/1092395-orgao-estadual-abre-20-vagas-com-salarios-de-ate-r-3827.shtml:
  • Entidade oferece 420 vagas para capacitação profissional

Livraria

 

Publicidade

 
Busca

Encontre vagas




pesquisa

Publicidade

 

Publicidade

 

Publicidade

 

Publicidade

 

Publicidade


Pixel tag