Publicidade
12/08/2012 - 06h10

Ser famoso na internet não basta para trabalhar com redes sociais

FELIPE MAIA
DE SÃO PAULO

Quem quer trabalhar com mídias sociais precisa tirar da cabeça a imagem da "celebridade na internet", a pessoa que tem milhares de seguidores no Twitter, por exemplo.

"Ele pode fazer piada muito bem, mas pode não saber gerir o conteúdo de uma marca", diz André Telles, sócio da agência Mentes Digitais e autor de "Orkut.com" (2006), um dos primeiros livros sobre as redes sociais no Brasil.

A maior parte dos profissionais do setor é formada em comunicação, em cursos de publicidade, jornalismo e relações públicas, mas esse não é um fator limitante.

Flávio Vieira, 33, diretor de conteúdo da agência Riot, estudou direito, fez pós-graduação em gestão ambiental e deu aulas sobre o assunto em colégios técnicos, mas decidiu mudar de área. Ele começou a escrever em blogs de publicidade e a fazer trabalhos para redes sociais, até decidir largar a advocacia.

"O direito é burocrático. Eu queria um ambiente com pessoas criativas", diz.

Apesar de ter feito cursos sobre publicidade, Vieira é autodidata e afirma que se capacitou para a profissão lendo sobre o assunto e aprendendo no dia a dia.

Como se trata de uma profissão nova, é difícil encontrar cursos especializados. As empresas, então, têm de treinar os funcionários.

"A gente forma muitas pessoas aqui dentro. Temos dificuldades de achar profissionais porque o mercado está aquecido", diz Roberta Paixão, sócia-diretora da agência Espalhe.

Ela recomenda que os aspirantes à área, independentemente da formação que tiveram, façam cursos de pós-graduação em marketing.

Em cursos específicos para mídias sociais, é possível aprender a fazer o planejamento de ações nesses sites, como melhorar o atendimento ao consumidor e a medir a efetividade da estratégia da empresa.

CURIOSIDADE NATA

O essencial é ser bem informado e ter vontade de saber de tudo antes de todo mundo. É preciso, por exemplo, ter conhecimento sobre elementos da cultura pop, como livros, filmes, bandas ou artistas plásticos --grande parte do que se discute nas redes sociais é sobre isso.

Simon Plestenjak/Folhapress
Flavio Vieira, diretor da RIOT, é formado em direito
Flavio Vieira, diretor da RIOT, é formado em direito

"Não contrato ninguém que não tenha visto 'Star Wars'", diz Ian Black, presidente-executivo da agência de mídias sociais New Vegas.

Os interessados na profissão devem se concentrar em produzir conteúdo relevante na internet, como blogs e vídeos sobre assuntos de interesse, para atrair potenciais empregadores.

Marina Bonafé, 26, conseguiu um emprego assim: em 2010, foi chamada para uma entrevista para trabalhar com comunidades virtuais em um site de downloads por causa de seus posts no Twitter. Ela estudava administração e escrevia sobre o trabalho de algumas marcas.

"Eu não era 'famosinha'. As pessoas ainda têm uma visão de que você pode virar um profissional porque tem 10 mil seguidores no Twitter", diz Bonafé, que hoje trabalha na Remix Social Ideas.

FAAP
Mídias Sociais: Publicidade e Relacionamento com o Consumidor (curso de extensão com 36h)
Quando: 10 de setembro
Quanto: R$920 à vista ou em duas vezes de R$ 466,55
Informações: (0/xx/11) 3662-7449

CURSOS SOBRE MÍDIAS SOCIAIS EM SÃO PAULO

ECOMMERCE SCHOOL
Gerentes de Mídias Sociais (curso com 120 horas)
Quando: a partir de 10 de setembro
Quanto: R$ 2.796
Informações: www.ecommerceschool.com.br

SENAC
Estratégias de Marketing nos Meios Digitais e Redes Sociais (curso livre de 16h)
Quando: a partir de 15 de setembro
Quanto: R$ 1.015
Informações: (0/xx/11) 2182-6900 e www.sp.senac.br

ESPM
Redes Sociais e Inovação Digital (curso de atualização com 15 horas)
Quando: a partir de 20 de agosto
Quanto: R$ 1.218
Informações: www.espm.br

 

Publicidade

 
Busca

Encontre vagas




pesquisa

Publicidade

 

Publicidade

 

Publicidade

 

Publicidade

 

Publicidade


Pixel tag