Publicidade

 

Publicidade

 
24/11/2013 - 02h00

Profissional não comprometido se sente insultado e manipulado, diz especialista

FELIPE MAIA
EDITOR-ADJUNTO DE "CARREIRAS"

Uma pesquisa da empresa de treinamento Dale Carnegie indica que 40% dos profissionais brasileiros se dizem completamente comprometidos com o trabalho.

O índice está acima da média mundial (37%), mas mostra que as companhias ainda falham na comunicação com os funcionários, afirma Peter Handal, 70, presidente-executivo da companhia. O estudo levou em conta respostas de 3.000 pessoas, sendo 457 no Brasil.

Leia trechos da entrevista.

*

Folha - É comum dizer que as pessoas hoje não se motivam só pelo salário, mas o levantamento de vocês no Brasil indica que o engajamento cresce proporcionalmente ao salário. Isso não é uma contradição?

Peter Handal - Não dá para saber o que vem primeiro, mas pode-se dizer que essa relação entre comprometimento e salário existe em razão de as pessoas ganharem bons salários por estarem totalmente engajadas.

Raquel Cunha/Folhapress
O presidente-executivo da empresa Dale Carnegie, Peter Handal, 70
O presidente-executivo da empresa Dale Carnegie, Peter Handal, 70

Por que 60% dos brasileiros não estão completamente comprometidos com a empresa?

No Brasil há sentimentos negativos entre os que não estão comprometidos. Eles se sentem insultados, manipulados, ansiosos e nervosos na empresa. Isso indica que as companhias estão falhando na hora de se comunicar com eles, de mostrar que eles são importantes.

O estudo também mostra uma relação entre o engajamento do funcionário e a satisfação com o chefe imediato. É papel do gestor ou da empresa engajar o funcionário?

Isso começa com o supervisor imediato, que tem de mostrar aos funcionários que eles são importantes, que se importa com eles e quer que eles sejam bem-sucedidos.

Parece algo que os pais dizem aos filhos...

Emoções são importantes tanto para as crianças quanto para o presidente de uma empresa. Mas há diferenças. Meu pai costumava dizer: "Faça isso porque eu estou mandando". Se o chefe usar essa abordagem, pode gerar um efeito negativo. Não é algo que funcione para melhorar o engajamento no escritório. É melhor indicar por que aquilo é importante.

 

Publicidade

 
Busca

Encontre vagas




pesquisa

Publicidade

 

Publicidade

 

Publicidade

 

Publicidade

 

Publicidade


Livraria da Folha

Meus Tiranos Favoritos

Meus Tiranos Favoritos

Bob Lutz

Comprar
Confrontos Decisivos

Confrontos Decisivos

Al Switzler, Joseph Grenny, Kerry Paterson e Ron Mcmillan

Comprar
Termine Este Livro

Termine Este Livro

Keri Smith

Comprar