Publicidade
29/06/2014 - 02h18

Quase 80% dos executivos brasileiros querem passar menos tempo no trabalho

DO EDITOR-ADJUNTO DE "CARREIRAS"
FELIPE MAIA

Os executivos brasileiros dedicam em média 36% do tempo ao trabalho, o que representa pouco mais de 8,6 horas por dia. A maioria deles (62%) está insatisfeita com essa divisão -o índice vai a 69% entre as mulheres. E 77% desses profissionais reduziriam o tempo dedicado à carreira se pudessem.

O resultado é de uma pesquisa feita via internet pela consultoria de recursos humanos DMRH com 4.600 profissionais que ocupam cargos de gerente sênior a presidente de companhias no Brasil.

Maíra Habimorad, 34, vice-presidente da companhia, diz que as mulheres, por ainda serem "o pulso da casa", sentem-se mais sobrecarregadas, o que se reflete no índice de satisfação.

"E tem outra coisa. Há pessoas que gostam de trabalhar muito, mas isso virou um estigma. Ficou feio gostar muito de trabalhar e há uma cobrança para que as pessoas exerçam outros papéis", diz.

Ela diz, também, que o fato de atividades de saúde, lazer, educação e descanso ocuparem ainda um espaço muito menor do que o tempo dedicado ao trabalho faz com que o equilíbrio entre vida e carreira seja "uma ilusão".

Para Antonio Carlos Soares, 40, presidente da empresa que produz o aplicativo de produtividade Runrun.it, a "maioria das pessoas tem a sensação de estar envolvida em coisas demais, mas às vezes é só uma percepção".

Segundo ele, para sair desse "turbilhão", o primeiro passo é anotar quais são as atividades previstas e ordená-las segundo sua urgência ou importância para a organização.

Ilustração Carolina Daffara Ferreira/Editoria de Arte/Folhapress
Executivos se dizem insatisfeitos com tempo dedicado à carreira e outras tarefas
Executivos se dizem insatisfeitos com tempo dedicado à carreira e outras tarefas
 

Publicidade

 
Busca

Encontre vagas




pesquisa

Publicidade

 

Publicidade

 

Publicidade

 

Publicidade

 

Publicidade


Pixel tag