Publicidade
13/03/2016 - 02h00

Salada pode durar até dez dias; veja dicas para montar marmitas saudáveis

IARA BIDERMAN
DE SÃO PAULO

Com planejamento, é possível levar de casa refeições e lanches que melhoram o rendimento no trabalho.

"Em uma tarde, dá para preparar e guardar refeições para a semana toda", afirma Raquel Pimentel, especialista em nutrição funcional.

Leia também:
Alimentação afeta a produtividade no trabalho para o bem e para o mal

Saladas podem ser deixadas semiprontas. Para isso, as folhas devem ser bem lavadas, imersas por dez minutos em uma solução de uma colher de sopa de hipoclorito de sódio por litro de água, e guardadas depois de secas em um recipiente com tampa, na gaveta da geladeira. Duram até dez dias, segundo Pimentel.

A nutricionista também sugere receitas que podem ser feitas em maior quantidade e congeladas em porções individuais, como torta de liquidificador feita com farinha integral e recheio de sardinha ou atum, ricos em ômega 3.

Divulgação
Lunchbox nanni compacta, com recipientes separado para a salada, inclui colher de plástico, faca e garfo e tem revestimento de neoprene. (Foto: Divulgação) *** DIREITOS RESERVADOS. NÃO PUBLICAR SEM AUTORIZAÇÃO DO DETENTOR DOS DIREITOS AUTORAIS E DE IMAGEM ***
Marmita lunchbox nanni compacta

Pimentel recomenda levar a comida em marmita de vidro. "Pode ir ao micro-ondas e, ao contrário do plástico, não há risco de liberar substâncias tóxicas com o calor."

Para acertar nas quantidades, a nutricionista Lara Natacci sugere montar a refeição num prato de jantar. Metade do prato é coberta com verduras e legumes e, na outra metade, proteínas (carnes, peixes) e carboidratos (arroz integral, batata-doce) são divididos em porções iguais.

Nos restaurantes self-service, os preferidos por mais da metade dos trabalhadores, segundo pesquisa da empresa de cartões de benefícios Alelo, também é possível fazer uma refeição balanceada.

"Os alimentos bons para o cérebro são os que estimulam a produção de substâncias como a dopamina, neurotransmissor envolvido em funções como memória e aprendizado, e os ricos em antioxidantes, que preservam as células nervosas", afirma a nutricionista Lucyanna Kalluf.

Alguns exemplos são o brócolis e o morango, ricos em antioxidantes, e o feijão, fonte de vitaminas do complexo B, envolvido na fabricação de dopamina, serotonina e ferro, que combate a fraqueza e melhora desempenho cognitivo.

O café? Apesar de ser prejudicial em excesso (entendido como cinco doses ou mais em um dia), é uma boa fonte de antioxidantes, além de aumentar a produção de dopamina, afirma Kalluf.

alimentação

 

Publicidade

 
Busca

Encontre vagas




pesquisa
Edição impressa

Publicidade

 

Publicidade

 

Publicidade

 

Publicidade

 

Publicidade


Pixel tag