Publicidade
15/10/2012 - 18h53

55 start-ups apresentam produtos e serviços em São Paulo

ANDRÉ ZARA
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

A primeira edição da Exposição e Conferência do de Inovação e Empreendedorismo de Base Tecnológica (Expocietec), que acontece entre hoje (15) e amanhã (16), está apresentando a investidores e empresários algumas das inovações produzidas pelas empresas geradas no Centro de Inovação, Empreendedorismo e Tecnologia (Cietec) e outras incubadoras.

O evento na FecomercioSP deve reunir 2.000 pessoas, nos dois dias, e dar a chance de 55 empresas mostrarem seus produtos e serviços.

As empresas na exposição são da área de biotecnologia, tecnologia da informação, medicina e saúde, meio ambiente, eletroeletrônica e química. "Esta é uma excelente oportunidade para apresentar as empresas e suas soluções inovadoras. O evento permite que elas façam contatos comerciais, participem de rodadas de negócios e entrem em contato com investidores. Também estamos promovendo debates importantes, sobre como o Brasil pode mudar sua realidade por meio da inovação", diz o diretor-executivo do Cietec, Sergio Wigberto Risola.

Segundo ele, na terça-feira 23 empresas selecionadas terão a oportunidade de apresentar seus negócios para 80 investidores selecionados, tentando atrair investimentos que vão de R$ 400 mil a R$ 20 milhões.

INCUBADOS

As 55 empresas incubadas que expõem seus produtos e serviços estão em diversos estágios de desenvolvimento.

A Sollis, por exemplo, está divulgando seu produto pela primeira vez ao mercado. O EUPRESCREVO é um portal em que médico podem gerar receitas médicas on-line para seus pacientes. Segundo um dos sócios, Caio Gonçalves Ribero, 26, a ideia é facilitar o acesso a informação e mostrar o que a pessoa está tomando. "Cerca de 30% dos atendimentos médicos estão relacionadoscom ingestão errada de medicamento. Com o sistema, que é gratuito, podemos também enviar a receita diretamente para a farmácia, eliminando o uso do papel", completa.

Já a Rfideas uniu três engenheiros elétricos que queriam empreender. Após muitas pesquisas, resolveram abrir uma empresa de gestão de ativos para Data Centers. O seu produto permite monitorar equipamentos, gerando relatórios sobre como e onde estão sendo usadas as máquinas das empresas. Em abril de 2011, os sócios largaram os empregos e começaram a trabalhar exclusivamente para seu negócio. "No começo deu muito medo, mas a incubadora permitiu um acesso a uma rede de conhecimento e especialistas", comenta diretor de operações da empresa, Lucas Almeida. Hoje, a empresa já tem escritório próprio, 10 funcionários e deve faturar neste ano R$ 500 mil.

A empresa de automação Kaex é outro case de sucesso. Ela nasceu graças dos anos de observação do dono, Danilo Rodrigues de Sousa, 25, que trabalhou como técnico no segmento de engarrafamento de bebidas. Analisando os problemas dos clientes que atendia, procurou a Cietec e criou, em 2011, o que no começo era uma consultoria. Mas com o crescimento, começou a desenvolver peças de reposição para máquinas. No começo, terceirizou o serviço, mas agora já está produzindo os próprios artefatos e suprindo grandes empresas como Coca-Cola e Schincariol. "O que a incubadora me deu foram as habilidade de negócio, já que eu tinha o conhecimento técnico", afirma Sousa. Em 2012, ele já emprega 14 pessoas e seu faturamento deve atingir os R$ 2 milhões.

 

Publicidade

 
Busca

Busque produtos e serviços


pesquisa

Publicidade

 

Publicidade

 

Publicidade

 

Publicidade

 

Publicidade


Pixel tag