Publicidade
22/03/2015 - 02h00

Sites aliam tecnologia à educação para ajudar estudantes em provas

DE SÃO PAULO

Para ajudar estudantes universitários a se prepararem para avaliações, Rodrigo Salvador, 25, e André Simões, 28, fundaram em 2013 a rede acadêmica Passei Direto. Na plataforma, os alunos podem se conectar com estudantes de outras universidades e disponibilizar e ler arquivos, que em geral são fichamentos de livros ou resumos de uma disciplina.

Salvador diz: "Nossa rede é colaborativa e não produzimos conteúdo. Os usuários produzem os materiais, e quem os lê pode avaliar a qualidade".

Fabio Teixeira/Folhapress
Rodrigo Salvador, fundador da Passei Direto
Rodrigo Salvador, fundador da Passei Direto

Ele afirma estar apostando em um novo serviço já disponível na plataforma, grupos que ele apelida de "Whatsapp de estudos". "Sabemos quais materiais o aluno está estudando e podemos sugerir grupos sobre esse tema", ele diz. A plataforma gratuita tem um aplicativo disponível para Android e iOs.

Salvador explica que espera ganhar dinheiro com o negócio por meio do serviço de recrutamento, cujos serviços são pagos por empresas. "Em 2015, estamos investindo no Passei Direto Jobs, nosso site de recrutamento para estágios, programas de trainee e empregos, ligado à plataforma de estudos", ele afirma.

Segundo o empresário, a rede já tem mais de 3 milhões de usuários, quase metade do número de pessoas matriculadas no Ensino Superior no Brasil –7,3 milhões, segundo dados de 2014 do Ministério da Educação (MEC).

O fundador também afirma que o site tem material referente a todas as áreas do conhecimento acadêmico e que, entre os usuários, há alunos matriculados em todas as instituições de ensino superior listadas pelo MEC.

PRÉ-VESTIBULAR

Para os estudantes que ainda não estão na graduação e têm pela frente o vestibular, o site EstudaVest traz questões de provas anteriores e também do Enem.

No site, compatível com dispositivos móveis, ou no aplicativo para Android, os usuários podem resolver até 20 exercícios gratuitamente a cada dia. Na versão paga, com uma assinatura que varia de R$9,90 a R$ 6,90 por mês, as questões são ilimitadas e há gráficos mostrando taxas de acerto e as maiores dificuldades do aluno.

Um dos fundadores da empresa, Carlos Pirovani Neto Netto, 29, afirma que a plataforma é customizável e pode ser adaptada para escolas ou outros conteúdos –como fizeram no EstudaOAB, que traz questões do exame da Ordem dos Advogados do Brasil.

Netto diz que está investindo na parceria com escolas privadas para levar o serviço a mais pessoas sem pesar no bolso do usuário adolescente, que não tem um grande poder de compra.

Ele também diz: "Queremos oferecer ainda mais funcionalidades para os professores na versão gratuita da ferramenta, porque isso vai trazer muitos alunos". Hoje os docentes podem criar listas de exercícios usando suas questões ou as do site, além de acompanhar o rendimento de cada um de seus alunos e ter acesso a gráficos da turma, para avaliar se determinado conteúdo foi bem compreendido.

VISÃO DO ESPECIALISTA
Fábio Senne, coordenador de projetos e pesquisas do Cetic.br (Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação)

USO EDUCATIVO
A internet é uma ferramenta importante para fins pedagógicos. Entre os principais usos da internet por crianças e jovens, junto com redes sociais, estão as pesquisas escolares e trabalhos em grupo. Os professores também usam essa tecnologia para preparar aulas.

FONTES CONFIÁVEIS
Temos desenvolvido o acesso à internet, mas hoje o grande desafio é buscar um conteúdo de qualidade. As escolas devem incluir discussões sobre o uso de crítico da internet e a importância de checar as informações em diversos sites confiáveis.

Colaborou GABRIELA STOCCO, de São Paulo

 

Publicidade

 
Busca

Busque produtos e serviços


pesquisa

Publicidade

 

Publicidade

 

Publicidade

 

Publicidade

 

Publicidade


Pixel tag