Publicidade
04/03/2013 - 13h31

Versátil, Honda Crosstourer encara trechos ruins

GUILHERME SILVEIRA
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

A Honda expande sua gama de motocicletas premium -- denominada "Dream" -- com a chegada da japonesa VFR 1200X Crosstourer. Versátil, essa opção foi feita para encarar viagens que incluam trechos ruins.

Não faltam equipamentos de segurança, como freios ABS e controle de tração. A transmissão automática tem dupla embreagem e seis marchas, acoplada ao motor de 1.236 cm3 (129 cv).

Zé Carlos Barretta/Folhapress

O conforto dessa estradeira está acima da média, bem como o preço: R$ 79,9 mil. É mais do que o pedido por concorrentes como a Triumph Tiger Explorer (R$ 62,9 mil) e a BMW R 1200 GS (a partir de R$ 63,9 mil).

A Crosstourer tem dimensões avantajadas: são 2,28 m de comprimento e 1,33 m de altura. Bastam algumas voltas para adaptar-se ao tamanho e ao câmbio.

A caixa automatizada permite que a motocicleta seja conduzida nos modos "Drive" (privilegia uma condução mais pacata) ou "Sport". Se o piloto preferir, pode fazer as trocas manualmente, por meio de um comando instalado junto ao manete esquerdo.

As trocas são rápidas, assim como as reduções de marchas, que acompanham bem as frenagens.

A tecnologia empregada faz essa Honda parecer leve, embora pese 261 kg. A família é peso-pesado, pois sua "irmã" esportiva, a VFR 1200F (172 cv), tem 264 kg.

A Crosstourer não fica à vontade no trânsito urbano. Apesar de o guidão esterçar bastante e driblar com facilidade os espelhos dos carros, o corpanzil da moto exige força e habilidade nas paradas no trânsito e nas manobras de estacionamento.

A estrada é seu habitat, onde o motor gira suave em sexta marcha a 100 km/h. Pode-se ir longe sem cansaço, graças também à posição de pilotagem ereta.

A 1200X tem potência para dar e vender. No segmento, só perde para a Triumph Tiger Explorer (137 cv).

O torque é similar ao de um carro com motor 1.4, e vale lembrar que o peso da moto é cerca de quatro vezes menor que o de um automóvel compacto.

ACABAMENTO

A Honda VFR Crosstourer só deixa a desejar no acabamento. Há muito plástico, e os espelhos parecem vir de motos mais baratas.

O desenho é correto, mas não tem o poder de atração presente nas rivais de origem alemã ou inglesa.

Para compensar, o para-brisa está entre os melhores do mercado. Há também protetores para as mãos e painel de cristal líquido.

A suspensão merece destaque. Os ajustes são bastante firmes, desenvolvidos para favorecer o desempenho em trechos sinuosos.

O controle eletrônico de tração corta a potência do motor ao cruzar obstáculos (galhos na pista ou trechos esburacados, por exemplo). Se o piloto quiser, o sistema pode ser desligado.

A moto está disponível nas cores branca ou vermelha (ambas perolizadas), e tem garantia de um ano sem limite de rodagem.

Com tantos recursos, a Crosstourer é a vitrine de tecnologia da Honda. Porém, pelo preço, não será fácil atingir um volume de vendas suficientemente alto para disputar a liderança no segmento das grandes estradeiras.

 

Publicidade

 

Publicidade

 
Busca

Encontre um veículo





pesquisa

Publicidade

 

Publicidade

 

Publicidade

 

Publicidade

 

Publicidade


Pixel tag