Publicidade
14/06/2015 - 02h00

Funcionário experiente que se sente mais novo do que é produz mais

ADRIANA FONSECA
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

"A idade não é a que a gente tem, mas a que a gente sente." A frase do escritor colombiano Gabriel García Márquez ganhou novo sentido no ambiente corporativo.

Um estudo, da professora Anneloes Raes, da espanhola IESE Business School, com seus colegas Florian Kunze, da Universidade de Konstanz (Alemanha), e Heike Bruch, da Universidade de St. Gallen (Suíça), mostrou que, quando os funcionários se sentem mais jovens do que são, têm melhor desempenho.

Publicado no "Journal of Applied Psychology", o estudo afirma que esses profissionais acabam perseguindo crescimento e oportunidades de promoção e, com isso, têm índices de produtividade acima da média e desfrutam de mais sucesso na carreira.

Leia também:
Veja profissões que estão em alta e em baixa em oito setores do mercado
Agora, orientação vocacional vai além da carreira e ajuda jovem a achar um rumo
'Camaleão' consegue manter vaga mesmo com economia fraca
Variedade de cursos superiores estimula aumento do entra e sai em faculdades

"Nos países industrializados, muitas empresas enfrentam o desafio de uma força de trabalho cada vez mais velha", diz Anneloes. "Levando em conta os efeitos benéficos da idade inferior subjetiva e os desafios crescentes da força de trabalho envelhecida, decidimos avaliar a idade subjetiva entre os trabalhadores de todas as idades."

Divulgação
Anna Paula Rezende, 46, executiva
Anna Paula Rezende, 46, executiva

Segundo a pesquisadora, as empresas podem ajudar os trabalhadores de uma forma simples: dar a eles trabalhos realmente relevantes. "Quando os funcionários percebem que têm tarefas significativas, a satisfação aumenta e a idade subjetiva diminui."

Além disso, é importante que a organização não faça restrição de idade ao promover ações de recursos humanos e que prepare a liderança da empresa para lidar com uma força de trabalho diversificada, o que inclui pessoas de diferentes gerações.

Divulgação
Anneloes Raes, professora
Anneloes Raes, professora

"O conhecimento técnico dos funcionários, a vivência e a experiência são relevantes", afirma Anna Paula Rezende, 46, diretora-executiva de talentos e sustentabilidade da empresa White Martins. "Queremos reter os profissionais mais velhos, até porque são eles que compartilham o conhecimento com os mais jovens e formam líderes."

Na companhia, 33% da força de trabalho têm 45 anos ou mais. Desses, 33% ocupam cargos de liderança e 27% conquistaram uma promoção ou aumento de salário no ano passado.

 

Publicidade

 
Busca

Encontre vagas




pesquisa

Publicidade

 

Publicidade

 

Publicidade

 

Publicidade

 

Publicidade


Pixel tag